Insisto em lhe Querer

amor-liberdade-como-manter-paixao

Insisto em lhe querer porque a nossa história começou antes mesmo de você ter passado por aqui.

Cada noite que adormecia era em seu sorriso que via as estrelas se esboçarem, criando assim um novo céu pra eu admirar.

E na escuridão do meu silêncio escutava atentamente o cantarolar de sua voz rouca, como a melodia de um trovão em dias chuvosos, que para muitos remete medo, mas pra mim,  uma possibilidade a mais de despertar em seus braços fortes que sempre me envolvem sem mesmo me tocar.

E essa noite,  bem sei,  nunca vai acabar até que reúna todas as condições de por aqui você passar…

Não se apresse em querer correr pois você pode tropeçar, já que nossas sensações nos alcançarão antes mesmo de nos reencontrar.

Elas são mais fortes e mais velozes que as nossas pernas, já trêmulas e fatigadas dessa longa travessia entre a morosidade do tempo e o calor dos nossos desejos que nunca há de se apagar…

 

 

Quando eu estiver louco, se afaste

DSC01991    Há que se respeitar quem sofre de depressão, distimia, bipolaridade e demais transtornos psíquicos que afetam parte da população. Muitos desses pacientes recorrem à ajuda psicanalítica e se medicam a fim de minimizar os efeitos desastrosos que respingam em suas relações profissionais e pessoais. Conseguem tornar assim, mais tranquila a convivência.

Mas tem um grupo que está longe de ser doente: são os que simplesmente se autointitulam “difíceis” com o propósito de facilitar para o lado deles. São os temperamentais que não estão seriamente comprometidos por uma disfunção psíquica – ao menos, não que se saiba, já que não possuem diagnóstico. São morrinhas, apenas. Seja por alguma insegurança trazida da infância, ou por narcisismo crônico, ou ainda por ter herdado um gênio desgraçado, se decretam “difíceis” e quem estiver por perto que se adapte. Que vida mole, não?

Tem uma música bonita do Skank que começa dizendo: ” Quando eu estiver triste, simplesmente me abrace/Quando eu estiver louco, subitamente se afaste/quando eu estiver fogo/suavemente se encaixe…”. A letra é poética, sem dúvida, mas é o melo do folgado. Você é obrigada a reagir conforme o humor da criatura.

Antigamente, quando uma amiga, um namorado ou um parente declarava-se uma pessoa difícil, eu relevava. Ora, estava previamente explicada a razão de o infeliz entornar o caldo, promover discussões, criar briga do nada, encasquetar com besteira. Era alguém difícil, coitado. E teve a gentileza de avisar antes.  Como não perdoar?

Já fui muito boazinha, lembro bem!

Hoje em dia, se alguém chegar perto de mim avisando-me “sou uma pessoa difícil”, desejo sorte e desapareço em três segundos. Já gastei minha cota de paciência com esses difíceis que utilizam seu temperamento infantil e autocentrado como álibi para passar por cima do sentimento dos outros feito um trator, sem ligar a mínima se estão magoando – e claro que esses “outros” são seus afetos mais íntimos, pois com amigos e conhecidos eles são uns doces, a tal “dificuldade” que lhes caracteriza some como num passe de mágica. Onde foi parar o ogro que estava aqui?

Chega-se numa etapa da vida em que ser misericordioso cansa. Se a pessoa é difícil, é porque está se levando a sério demais. Será que já não tem idade para controlar seu egocentrismo?  Se não controla, é porque não está muito interessada em investir em suas relações. Já que ficam loucos a torto e a direito, só nos resta nos afastar mesmo. E investir em pessoas alegres, educadas, divertidas e que não desperdiçam nosso tempo com draminhas repetitivos, dos quais já se conhece o final: sempre sobra pra nós, os fáceis.

 

Extraído do livro Felicidade Crônica de Martha Medeiros

 

 

 

Saudade de Você!

Tem pessoas que entram pra história de nossas vidas através de fatos e momentos notórios. Outras apenas por sua alegria, simplicidade e generosidade!

Umas nos levam muito a sério…  Já outras nos tiram do sério! Risos.

Meu pai era um pouco de tudo isso. Ninguém como ele me provocava tanta raiva, e ao mesmo tempo,  tantas rizadas… A forma de suas narrativas a respeito dos assuntos que envolviam nossa família, que é enorme e cheia de pessoas talentosas, era uma comédia! Sinto falta dele. Me deixou órfã não só de pai, mas de grandes momentos de descontração.

Agosto sempre nos traz grandes recordações. Boas ou más. De qualquer forma, quero aproveitar o dia de hoje, para mais uma vez , falar da minha saudade, que não é pouca! Continue lendo “Saudade de Você!”

Simplesmente Mulheres

Simplesmente Mulheres… que encantam, que desencantam… as fortes, as menos fortes, as que lutam, as que entregam os pontos, as que se entregam, as que vão em frente, as que sabem chorar, as que nasceram para sorrir, as que já nasceram mais belas, as que aprenderam a se enfeitar, as que ainda acreditam, as que já perderam a fé, as que se apaixonam, as que fogem do amor, as que sofrem, as que provocam a dor… Enfim a todas nós mulheres, que viemos pra marcar nossa presença nesse universo de reparações, a minha homenagem, o meu carinho, minha admiração e o meu respeito..

Nunca seja econômica nos seus sentimentos

2

Desde cedo aprendemos a esconder nossas verdadeiras emoções (amor, prazer, medo, raiva, alegria, etc…). Em casa, com nossos pais, irmãos e agregados. Na rua, com os nossos vizinhos e amigos de infância. Depois, na escola ou na faculdade com nossos professores e com nossos colegas de classe. Tenho um amigo que costuma me repetir a seguinte frase: Dam, a nossa geração foi “adestrada”. A gente tinha que dizer amém a tudo. De certa forma, concordo com ele!

Tentei, de todas as formas possíveis, fugir desse paradigma de pessoa sempre caladinha, quietinha, de “maria vai com as outras”… Contrariando, logicamente, à minha mãe, que costumava me chamar de “malcriada” e alguns de meus professores! Isso também nunca significou que eu tivesse lhes faltado com respeito, obediência ou coisa parecida. Nem com ela, nem com meus professores e nem tão pouco com as pessoas mais velhas ou hierarquicamente acima de mim. Obedecer e respeitar nunca significou, pra mim, silenciar!

Nunca me calei diante de injúrias e/ou de injustiças que aconteciam em volta do meu núcleo de relacionamento. Até o meu avô materno, com o qual pude ter o privilégio de conviver, se surpreendia com as minhas “tiradas” … Sempre preferi o barulho dos meus sentimentos à mudez da minha frustração! Hoje sei o quanto foi difícil pra mim e também pra todos eles. Mas por outro lado, me permitiu criar as condições necessárias pra minha sobrevivência nessa selva de falsas aparências. Em que grande parte das pessoas, em seus relacionamentos interpessoais, se adaptam às falsas promessas, ao que parece ser mas não é, se magoando, se oprimindo anos a fio, se frustrando cada vez mais, suportando conviver dentro de um casulo com determinadas pessoas por medo de se submeter ao julgamento do outro ou até de si mesmo!

A opressão é sempre devastadora! Seja em qualquer estágio de sua vida. Portanto, não permita que a mesma cale sua voz e imobilize seus argumentos. Que ela bloquei os seus sonhos e os seus sentimentos. Não emudeça, mesmo que tenha que levar com você pro resto vida a sua fama de “malcriada”!

Loucamente apaixonada

Ouço os homens dizerem com frequência que todas as mulheres são loucas ou emocionalmente instáveis. Alguns até as dividem em categorias. De acordo com a visão deles, as mulheres variam de livremente irracionais a totalmente psicóticas. Os homens são conhecidos por se juntarem para jogar uma pelada, tomar algumas cervejas e trocar observações sobre saúde mental de sua mais nova conquista. “Conheci uma garota nova, e ela parece ser capaz de controlar os hormônios.” Talvez você tenha notado que ele sempre fala de alguma ex-namorada. Você sabe, aquela que nunca abaixava a cabeça e parecia estar possuída pelo demônio, o que causou o fim do relacionamento. Claro que ele não teve nada a ver com isso. Ele era um anjinho e, pasme, um belo dia acordou ao lado da garota do filme O Exorcista.

Talvez seja por isso que as mulheres se culpam por tudo. Já perdi a conta de quantas vezes as ouvi dizendo ” Eu vivo estragando os meus relacionamentos. Acho que o problema é comigo.” Elas recebem essa análise de saúde mental feita pelo namorado (auto-proclamado terapeuta) e já começam a se questionar. “Ele diz que estou agindo como louca, que não sou normal. Sinto que estou enlouquecendo mesmo.” Então ela pega um chicote e começa a se flagelar: várias e várias vezes.

Já as mulheres confiantes riem quando recebem feedbacks ridículos. Se um homem chamar uma poderosa de “meio maluca”, ela responde que ele deve dar graças a Deus por isso. “É verdade, e você tem sorte por eu ser só ‘meio’ maluca. Poderia ser muito pior, porque a maioria das outras poderosas é totalmente psicótica. Imagina o que elas seriam capazes de fazer com você…”

Quando uma mulher consegue rir de si mesma, não leva tudo para o lado pessoal e controla as próprias emoções, ela parece mais “estável”, segura e confiável. Assim o homem acha que há uma chance maior de dar tudo certo no relacionamento.

Quando você encontra um homem pela primeira vez, é preciso entender: a maioria dos homens vê as mulheres como brinquedinhos sexuais. Eles se apaixonam de vez em quando, é verdade, mas isso acontece depois… Portanto, tudo o que ele diz no começo muito provavelmente tem apenas o objetivo de  conseguir o resultado desejado: jogá-la na cama. São as preliminares verbais. Você usa perfume, ele abre a  porta do carro. Você diz que só teve três homens na vida (mantendo o rosto impassível), ele diz que está em busca de um relacionamento sério e você tem as qualidades que as outras não tinham. É tudo papo furado. Veja bem, isso não quer dizer que ele não a ame, adore e ache você a mulher mais sexy do mundo. Isso significa que, para continuar a fazer sexo, os homens vão enganá-la quanto ao nível de envolvimento que pretendem ter no longo prazo.

Um pouco de indiferença no começo, age como um ímã, e o prende de vez. Se o homem não souber (totalmente) quais as suas intenções e não tiver certeza do que você quer, ele vai respeitá-la mais e tratá-la melhor. Isso o prende porque ele não tem o controle que costumava ter.

A maioria das mulheres já começa mal porque demonstra afeto demais e muito cedo. Assim, logo elas estão em queda livre (sozinhas), e é nessa hora  que ele faz o seguinte comentário: ” Ela não controla suas emoções”. Se as emoções estiverem no comando, você estará a mercê dele. É coisa de homem. Eles aprendem muito cedo que mostrar emoção demais significa fraqueza. Eles respeitam mulheres fortes. Então, é preciso controlar o quanto de emoção você vai mostrar.

 

Texto extraído do livro Por que os homens se casam com as mulheres poderosas? – da autora Sherry Argov.

 

Quem me garante que Jó era paciente?

IMG_4166

Por anos a fio, ouvimos a célebre frase: fulano tem a paciência de Jó!

Os estudiosos dos livros bíblicos que me perdoem, mas confesso que não acredito que ele tivesse  toda essa paciência que lhe foi atribuída!

Me considero uma pessoa mais tolerante que paciente, pois a minha ansiedade taurina não permite me dar ao luxo de ficar esperando que as coisas aconteçam ao acaso. Normalmente eu procuro dar uma mãozinha  ao destino!   Isso vale para todas as situações do meu cotidiano. Seja no trabalho, com a família, com os amigos e, principalmente na área dos relacionamentos afetivos. Namorado com aquela”conversa mole”, comigo nunca se estabeleceu! Sempre tive olho clínico pra identificar se o cara estava a fim de um relacionamento mais sério ou só querendo “passar as férias de verão”. Risos.  Com aquele chove e não molha, diz que vem e não chega, nunca tive a menor paciência!  Nem tão pouco a de ficar ouvindo as constantes lamentações de amigas, falando sempre mal do emprego, do cônjuge, dos filhos e ou da cidade em que vive,  mas incapazes de tomarem qualquer decisão de mudança com relação a própria vida.

Acredito que todo passo que dermos na vida deve ser diretamente proporcional aos nossos objetivos. E, na maioria das vezes, a nossa covardia e o nosso medo de enfrentarmos os desafios nos impedem de irmos em frente, atrelados por demais às desculpas esfarrapadas que não convencem nem a nós mesmos, quanto mais aos outros com quem nos relacionamos. Haja paciência!

Toda paciência tem limite, né?  E há um limite onde a paciência deixa de ser virtude para se transformar em abnegação, em submissão, e até mesmo pode dar espaço para uma grande frustração! E qual é a minha força para que eu continue aguardando  o que não tem data marcada para acontecer? Nenhuma. Não tenho a menor vocação para esperar pelo indeterminado! O meu tempo é hoje, é o agora e a minha paciência é bem limitada! Não sou como Jó, isso posso assegurar!

Personalidade da Mulher de Touro, por Judith Bennett

Orquideas
Romântica, Artística, Prepotente, Dogmática, Organizada, Amável, Possessiva, Teimosa, Persistente, Cautelosa, Ciumenta, Conservadora, Honesta, Tolerante, Produtiva, Sabe ganhar dinheiro, ligada ao hábito e à Natureza.

A Mulher de Touro é sensual e sedutora, apesar da sua aparência fria, calma e às vezes indiferente.

Para ela o contato físico é importante, já que é regida por Vênus, a deusa do amor e da beleza, precisa ser desejada, tocada, admirada. Expressa grande parte do seu carinho através do sexo, mas nunca está apressada… Adora a sua casa, sempre bem decorada, uma mistura harmoniosa do tradicional e do novo, pronta para receber seus verdadeiros amigos, com excelente comida, que a mesma costuma prepará-la. Os prazeres simples atraem-na (bom sexo, boa comida e boa companhia), em geral nesta ordem.

Devido sua natureza ligada ao hábito, seu café da manhã costuma ser um ritual. Tem uma certa dificuldade em lidar com mudanças bruscas…

Suas emoções estão intimamente ligadas às suas crenças. Uma de suas maiores dificuldades é compreender que não pode resolver os carmas das outras pessoas, principalmente daquelas que ela ama.

O dinheiro permite que a Mulher de Touro possua muitas coisas e viaje para muitos lugares que aprecia.   Seu maior desafio é ser despojada de suas posses.

Adora música e seus instrumentos. Costuma ter voz melodiosa, uma de suas maiores qualidades, além de talento para desenho e pintura.

Como o seu símbolo, o touro, ela só se enfurece quando está com raiva, ou surpreendida nas paixões do sexo, nesse último caso, fica furiosa de verdade. Sua natureza obstinada rege seus relacionamentos. Costuma se apaixonar por homens inteligentes, dinâmicos, sensíveis e amantes da natureza. Quer ganhar uma Mulher de Touro, ofereça-lhe Orquídeas…

Geralmente não cria grandes expectativas, com relação aos outros, já que conhece bem como funciona o mundo e as fraquezas das pessoas.

Devido sua natureza artística, todos seus sentidos são extremamente cultivados. Gosta de sentir na sua pele o ar e o calor do sol. Negue-lhe afeto que ela pode se tornar como uma planta sem água.

Sua maneira de lidar com os relacionamentos permanentes é saudável. Gosta de conforto e de compartilhar o mesmo com as pessoas que ela ama.

Esposa amiga e fiel, até ser traída. Tem um dos mais elevados níveis de tolerância do Zodíaco, mas quando chega ao seu limite, reage de uma maneira surpreendente.

Seu talento para ganhar dinheiro é infinito. Honesta, confiável, consegue calmamente tomar decisões pelos outros. Tem uma habilidade fantástica com imóveis e questões bancárias. Se você é o homem que ela escolheu para a vida toda, pode se considerar afortunado…

Por Brasília Todos passarão, mas apenas os Privilegiados permanecerão…

Há 40 anos atrás, quando cheguei em Brasília, vindo da minha cidade natal, Fortaleza-CE, ouvi de um falante e sábio taxista esta afirmação: por Brasília todos passarão, mas apenas os privilegiados aqui permanecerão.
Naquela ocasião eu tinha apenas 23 anos de idade, cheia de expectativas e de medo, pois era a primeira vez que me ausentava de casa sem a “proteção familiar”, para me aventurar diante de uma vida inteiramente nova para mim.
Para começar, até o clima era desanimador, risos. Uma daquelas tardes de janeiro chuvosa.

O Eixão, sua principal via de tráfego rápido, vindo do Aeroporto ou de outras cidades, ainda estava quase sem movimento de veículos. Ladeado por prédios e mais prédios praticamente inabitados. Pelo menos não se via uma viva alma debaixo daqueles prédios uniformes e constantes…
O único barulho que eu podia ouvir, além daquela forte chuva, era a conversa intermitente do taxista, que insistia em me dizer que minha vida iria mudar totalmente a partir daquele dia, pois como tantas outras pessoas que vinham para Brasília, eu também passaria a fazer parte do rol dos privilegiados, cuja principal missão era criar novas oportunidades para outros membros de minha família.
Achei aquilo totalmente estranho e sem nexo, conhecendo bem o ponto de vista dos meus parentes com relação a qualquer tipo de mudança…
Mas como eu dizia no início, o falante e sábio/vidente taxista sabia exatamente do que estava se referindo durante aquela longa conversa.
Alguns anos se passaram e, realmente, eu permaneci por aqui e no decorrer desse tempo  me tornei, de certa forma,  um instrumento de motivação para que alguns membros da minha família resolvessem vir morar ou passar grande temporada por aqui. Em Brasília pude me realizar profissionalmente, conheci grandes amores e importantes amigos. Me casei e tive uma filha maravilhosa que, acredito ter sido o maior significado dessa minha estada por aqui. Como aludiu o falante taxista, quase todos os meus familiares passaram, mas apenas os privilegiados conseguiram permanecer até hoje.
Apesar de ter tido várias oportunidades de atravessar alguns oceanos, conhecido  lugares fantásticos e inesquecíveis, no entanto somente aqui em Brasília me sinto em casa. Quando retorno de outras cidades e pego o Eixão,  com destino à minha casa, é como se abrissem vários braços para me receber, me apertar, e me desejar um feliz retorno…

Personalidade da Mulher de Áries

“A Mulher de Áries é em geral uma eterna otimista, enfrentando com disposição muitos começos e interrupções exaustivos. Para ela, amanhã é realmente um novo dia, como sempre foi para a Scarlett de … E o vento levou.” – Juditt Bennett.

A Mulher de Áries é geralmente andrógina, dinâmica, compulsiva, controladora, competitiva, empreendedora, o que a leva a atingir, com mais facilidade, cargos de direção, semelhante à Mulher  de Capricórnio. Os desafios a impulsionam a atingir suas metas. Por conta de seu magnetismo e de sua linguagem corporal dominadora, ela não passa desapercebida. É, geralmente, otimista  e decide sua própria sorte (ou infortúnios).

Sua personalidade é marcada por sua rebeldia, insensibilidade e pela disposição em correr riscos. Odeia limitações, sejam provenientes de sua família ou das convenções sociais. Seu desafio é procurar ser mais “feminina”. “Desde muito cedo ela é capaz de unir e sintetizar importantes aspectos do masculino e do feminino em um corpo e em uma personalidade.” Tem uma forte tendência a se  relacionar melhor com os homens.

Normalmente, desenvolve um ótimo senso de humor! Costuma ser honesta nos amores e nos relacionamento com os parceiros, dificilmente lhes dá uma segunda chance. O que a leva a cometer alguns erros de avaliação. Esse comportamento chega a melhorar depois dos 30 anos de idade, com a maturidade.  Procura no seu parceiro apoio e sensibilidade para perceber, por baixo de sua máscara de durona, a mulher sensível que reside lá, com seu romantismo, sua paixão e sua sensualidade.

” A cama é o único lugar que ela pode relaxar e se movimentar devagar, para liberar suas emoções”.